sunderland-seaside.jpg

Estive recentemente em Sunderland numa reunião de 3 dias no âmbito de um projecto europeu. A cidade de Sunderland fica junto ao mar na costa nordeste de Inglaterra e é atravessada pelo Rio Wear. Foi praticamente destruída pelos bombardeamentos que sofreu durante a Segunda Guerra e foi reconstruida na arquitectura cinzenta característica das cidades industriais inglesas do pós-guerra. As indústrias pesadas foram entretanto desaparecendo com o consequente aumento do nível de desemprego que, apesar dos recentes progressos, continua significativamente superior à média de todo o Reino Unido.

Apesar da distância a Lisboa não ser grande (cerca 1900 km ou 1200 milhas) não é possível realizar a viagem em menos de 18 horas, incluindo aviões e aeroportos. Durante este período de tempo tivemos oportunidade de apreciar alguns do múltiplos percalços que se oferecem ao viajante no século XXI. No caminho de ida, o nosso voo de Londres para Newcastle foi cancelado com a consequente perda da mala do meu aluno. No regresso, depois de uma tentativa de aterragem abortada, deparámo-nos com o caos no aeroporto de Heathrow em consequência da avaria de todos os painéis informativos e que durou as três horas que tivemos de aguardar pelo voo para Lisboa. O aeroporto funcionava à moda do apeadeiro de Braço de Prata com o chefe da estação a anunciar os aviões e as respectivas portas de embarque.

O mais marcante desta viagem foi, no entanto, o relato dos meus colegas de Sunderland das sessões de divulgação de trabalhos de investigação da Universidade que realizam aos Sábados para os alunos do ensino secundário. Com o decréscimo da população estudantil, estas actividades são frequentes na maioria das Universidades Europeias. Encontrei em Sunderland inesperadas semelhanças com Portugal na dificuldade em mostrar aos potenciais alunos as vantagens de uma formação universitária. A falta de emprego para recém-licenciados fá-los questionar se vale a pena estudar mais 3 anos para ficar desempregado, mas, mais preocupante do que isso, é baixa auto-estima destes jovens pré-universitários que dizem: «além disso, nós não temos miolos suficientes para ir para a Universidade…»

sunderland-rainbow.jpgsunderland-lighthouse.jpg